Ciclista atropelado durante a Bicicletada de outubro no Rio de Janeiro

Não pude ir na Bicicletada de outubro aqui no Rio de Janeiro então só no sábado de manhã fiquei sabendo do atropelamento do Rafael (ele está bem, sofreu uns arranhões e a roda da bicicleta ficou um pouco amassada).

A Bicicletada estava em Copacabana na Rua Santa Clara. O motorista Célio Pereira, 50 anos, que estava atrás do grupo começou a pressionar a massa, acelerando e freando em cima dos ciclistas, numa clara demonstração de violência. A mesma coisa que fazia o motorista Ricardo Neis antes de passar com seu carro no meio da Bicicletada de Porto Alegre e atropelar vários ciclistas no começo do ano.

De óculos e de frente para a foto, Celio Pereira, o motorista que atropelou um dos ciclistas da Bicicletada
De óculos e de frente para a foto, Célio Pereira, o motorista que atropelou um dos ciclistas da Bicicletada

No caso do motorista carioca, ele não passou por cima de todos, mas numa dessas aceleradas “errou” e parou o carro somente depois de ter derrubado o Rafael ao acertar a roda traseira da sua bicicleta.

Me entristece muito ver que coisas como essa ainda acontecem em nossa sociedade. Ver que um ser humano considera plausível jogar seu veículo de algumas toneladas para cima de outra pessoa por sua pressa em chegar ao próximo sinal vermelho.

Mesmo se toda a rua estivesse ocupada por bicicletas nada justifica o comportamento do Célio Pereira. Porém, as bicicletas estavam apenas em algumas pistas da via, outras estavam “livres”. Ele poderia simplesmente ter mudado de faixa e seguido com sua pressa doentia até, de novo, o próximo sinal vermelho.

Após o atropelamento a Bicicletada teve um comportamento exemplar, com muitas palavras de ordem para manifestar a perplexidade diante do que ocorreu, mas sem em nenhum momento ameaçar o motorista que ficou no local. A polícia foi chamada e o BO registrado. Agora é esperar o desenrolar dessa história na justiça.

Infelizmente até agora não apareceram imagens do momento do atropelamento. Existe um vídeo que começa logo após o fato mas que está temporariamente indisponível a pedido do advogado de defesa.

Segue abaixo alguns links para outros relatos e fotos:

Em tempo, num exercício quase impossível, deixando de lado o atropelamento, pelas fotos a Bicicletada de outubro parece ter sido muito boa. Muita gente feliz e fantasiada seguindo a temática do Halloween (bem que podíamos ter feito Dia do Saci, mas essa é outra conversa) pedalando pelas ruas do Rio por uma cidade mais lúdica e amorosa, por mais respeito aos ciclistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *